Seguidores

quinta-feira, 1 de abril de 2010

O Reino Troglodita

Hoje li esta pensata da Folha, que eu recomendo, do Clovis Rossi, onde ele entitulou "A Era dos Trogloditas", ele lista uma declaração do governo brasileiro sobre a ausência de "trogloditas" nesta eleição e remete aos movimentos políticos na Europa, em especial: Itália e França, onde nas ultimas eleições a direita (xenófoba) teve um expoente crescimento e nos EUA onde grupo de republicanos extremistas foi preso em uma situação pitoresca que seria cômica se não fosse trágica.
Ele liga isto ao ultimo BBB, vencido por um homofóbico praticamente declarado que fez declarações lamentáveis sobre a AIDS, culpando os gays por isto.

Seguidamente, entrei no GCliche, do Leandro, onde ele liga a vitória do Dourado no BBB a nossa própria inércia com relação a assuntos sérios e a errônea visibilidade que demos a esse dispensável ser humano.
Como disse o próprio Leandro, quando houve as assinaturas para a PL 122, e o manifesto contra a homofobia, as assinaturas - mesmo no período da parada - foram pífias e já no BBB houve uma mobilização com precedentes infinitamente superiores que acabaram focando exatamente a figura do "tal lutador" e alçando ele a "cara do Brasil": ignorante, preconceituoso, fechado. E que infelizmente não é a minoria do país.

Fico assim por dizer, triste. Porque como conversei recentemente com um amigo que está tentando ganhar a vida na Itália e outro que já reside na Suíça ha alguns anos: o quadro lá é basicamente o mesmo, a sociedade entrando em um processo de "trogloditamento" através de uma mídia combalida, programas de tv medíocres como o BBB - que já veio de fora - e que a população em massa dá audiencia e um movimento que ganha força até mesmo em meios como o universitário que deveriam se utilizar do conhecimento para desenvolver a sociedade e apenas ampliam o seu retrocesso. Querem exemplos: Geisy e os trotes violentos da UMC.

Enquanto ficarmos no sofá dizendo que não temos tempo para fazer nada mas agirmos como mais de 150 milhões de pessoas que dispendiaram do seu tempo para votar no zoológico televisivo dispensável BBB realmente não contribuiremos em nada para a mudança de uma sociedade falida como a nossa.
Relembro o ulimo post que dediquei ao assunto, onde eu disse que não adianta blindarmos nossos carros, subir o muro dos condomínios e nos cubrir de idéias falsas achando que o que está fora dos portões de nossas casas não vai nos atingir. Ou começamos a mudar com pequenos gestos ou nunca saimos do zero.

Só para quem teve tempo de votar naquela patifaria que chamam de programa, dispensem um minuto da sua vida e entrem aqui e assinem a favor deste projeto de lei, que não só ajudará você mas também toda a sociedade a tomar uma consciencia ao respeito com o próximo.

Aproveito que amanhã é sexta feira santa, dia que Jesus entregou sua própria vida pela humanidade que ele tanto amava - daí o nome deste gesto ser "Paixão" - pedir que assim como Ele disse, mesmo para quem não acredita, mas acredita no bem, colocar isto em prática: "Que amemos o próximo como a nós mesmos".



*Infelizmente a situação é tão grave que não dá nem pra fazer como a Leona, assassina vingativa e "chamar o taxi pra Paris" por que lá está quase a mesma coisa.

3 comentários:

  1. Olá, Sam!!!

    Excelente texto! Também estou revoltado com esse tal BBB... mas, como disse no meu post, somos uma minoria... e o que vigora parece ser sempre a maioria, não é?

    Parabéns pelo novo lar! rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. É, situação complicada, mas vejo a vitória do Dourado como merecida, pois a figura dele é a mais representativa no Brasil. Como mudar isso? Eu não faço a minima ideia e olha que eu nem sou metido a ciência sociais, eu faço e não tenho a minima ideia de como reverter tal quadro.

    ResponderExcluir
  3. Juro... ainda vou morar na Argentina

    ResponderExcluir