Seguidores

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Ignorância e Bichinhas Mequetrefes


Elas estão em todo lugar. Mas antes de começarmos a falar delas, as bichinhas mequetrefes ou pão-com-ovo como queriam designar: ser uma bichinha mequetréfe é um estado de espírito e não uma condição social: é aí onde a maioria das pessoas pecam!
Na verdade, mequetrefe nem é o termo correto, porque:

mequetrefe
me.que.tre.fe

adj+sm
(cast mequetrefe) Diz-se do, ou o indivíduo que se mete onde não é chamado; metediço. Var: melcatrefe.

Ou seja, precisaríamos de um outro termo para designá-las, mas como elas não merecem que percamos nosso tempo procurando algum outro vocábulo para isso, tratamo-las assim mesmo.
Elas estão não só no baixo estrato social mas em todos os demais, algumas são ricas ou bem vividas ou casadas ou pós-graduadas ou tudo isso junto e mais alguma coisa e cultivam em si aquele espírito pão-com-ovo de ser: presumem-se as bunitas, inteligentes - ah, me deixe por favor abrir essa grande ressalva: como justamente algumas dessas que se julgam bunitas são justamente o contrário: me servem como grande motivo de graça - bem-sucedidas, por vezes, maioria delas mantém amizades sólidas como pregos na areia, são volúveis, precisam de atenção, portanto tentam chamar os holofotes para si através de comportamentos ridículos, de closes (no mal sentido da coisa), fofocas - a propósito, bichinhas mequetrefes são exímias fofoqueiras, tem um quê de abutres na sua essência - e adoram ver a desgraça alheia como aquele mecanismo de defesa estranho de quem vive na merda e portanto quer nivelar ou outros por ela.
Por um erro comum, bichinhas mequetrefes não vivem apenas em subúrbios, mas muitas delas vivem nos principais bairros nobres, tem uma vida cheia de regalos e exibem esse mequetrefismo do mesmo jeito. As boates da Zona Oeste de São Paulo tem tantas quanto as do Centro, muitas delas conhecidas (errôneamente) pelo mequetrefismo.
Elas, são essas que tem opniões pequenas do tipo que acha que todo mundo é gay, que se o cara se diz hétero e seu amigo é porque ele quer comer você... Aliás a ,
mequê (me fazendo íntimo) é a versão gay da feia-fofoqueira de ônibus: aquela que quando todo cara encosta nela ao passar no corredor do coletivo, ela grita - uma tentativa falida de se valorizar - pra que ele não se encoste nela, sendo que ninguém quer muito menos se encostar nela, porque ela é feia. (Adjetive o feia aqui como quiser)
Quando essa mequetrefe possui algo a mais: uma carreira promissora ou um MBA por exemplo, ela usa esse artifício para se pressupor melhor que as demais, seja mais bunita ou mais inteligente, muitas vezes são tão mequetrefes mesmo, que assumem para si essa personalidade como valor de verdade e são geralmente as pessoas mais insuportáveis da face da terra. São elas que estão sozinhas no canto da boate com seus dry-martinis na mão, afinal eles (os dry-martini, coitados) não podem dizer que vão ao banheiro e fugir da sua presença.
Algumas delas mantém relativa visibilidade com seu jeito incômodo - afinal, a desgraça faz sucesso, vide Datena - mas quem se aproxima, o faz apenas por isso e nada mais, até porque elas não possuem nada mais a oferecer. São como buracos-negros: sugam toda energia positiva por onde passam.
Elas não se preocupam em viver sua vida, as vezes não tem mesmo o que viver, outras, perderam o foco e acabaram entrando nessa estrada sem volta de mediocrização do ser. Estão aí, chacoalhando suas mãos bêbadas e girando o pescoço descontroladamente como perús perseguidos no terreiro para abate, sem saber para onde ir, apesar de quererem mostrar que sabem, não sabem.
Estão sempre com a cara na grade - do terreiro - enquanto todos os outros estão aí, cultivando a sua felicidade.
Rezai por elas.

9 comentários:

  1. Hahahaha,é o que eu digo sempre, eu tenho ainda MUITO pra aprender com vc, SAM. Amo.

    "Espírito pão-com-ovo de ser": nunca mais vou esquecer isso! :D

    Besos, meu querido, ótima semana pra vc.

    ResponderExcluir
  2. Tenho pavor de poc-poc que dah close e se acha! Adorei o texto.

    ResponderExcluir
  3. Vixe , especialista em bicha mequetrefe ?
    REzai por elas ... amém !!!

    ResponderExcluir
  4. Perfeita a sua colocação ... estas zinhas q se julgam mais são as piores ...

    ResponderExcluir
  5. Gostei demais desse teu texto hahahah muito bacana mesmo. ODEIO bichinhas pão-com-ovo e olhe que existem várias viu?! Não só bichinhas, mas um monte de gente é assim cara. Adoooooooooooooooorei o teu blog. Tu podería dar uma passadinha no meu blog hein?! Muiitooo obrigado cara.


    to te seguindo

    http://selvamasculina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Hum, me confundi no meio do texto pro fim. Isso faz e mim o que? Bicha jamanta?

    Existe hétero pão-com-ovo (mequetrefe) ou o que seja? Rs

    ResponderExcluir
  7. verdade o seu texto. a atitude diz muito mais sobre a pessoa do que o lugar onde ela mora.

    abraços!

    ResponderExcluir
  8. Bom, elas existem sim! Mas acho que não são só os gays que tem representantes nesse perfil descrito, não é?? (Eu não disse que vc afirmou isso...)

    Por isso, penso que vc acabou de descrever parte da humanidade como um todo...

    Abraços!

    ResponderExcluir